• Cuiabá - -
Olho No Esporte MT
MATO-GROSSENSE

Botelho viaja a Brasília para pressionar pela rápida aprovação do pacote de medidas contra feminicídio na Câmara Federal

O parlamentar também destacou que a ALMT vai propor ações educativas tanto nas escolas quanto com as famílias para tentar reduzir os crimes contra as mulheres

Data: 01/04/2024 - Por: Da Redação


ESSA NOTÍCIA É UM OFERECIMENTO:



O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União), liderou uma reunião com a senadora Margareth Buzetti (PSD), a deputada federal Gisela Simona (União) e a deputada estadual Janaina Riva (MDB) para discutir a questão da violência contra a mulher e buscar uma ação conjunta entre os poderes para garantir punições mais severas aos agressores.

O foco da reunião foi o pacote antifeminicídio, proposto por Buzetti, que já obteve aprovação no Senado e agora está em tramitação na Câmara Federal. Botelho anunciou que irá liderar uma delegação para Brasília, onde solicitará ao presidente da Câmara, deputado federal Arthur Lira (PP), celeridade na apreciação do projeto.

O projeto de lei da senadora Buzetti busca reduzir os índices de violência contra a mulher, propondo alterações em cinco leis em vigor. Entre as mudanças propostas está o aumento da pena mínima para o crime de feminicídio de doze para vinte anos, e da pena máxima de trinta para quarenta anos de prisão.

Botelho enfatizou a importância de unir esforços para combater o problema crescente da violência contra a mulher, que afeta toda a sociedade. Ele destacou a necessidade de penas mais severas como um meio de dissuadir os agressores.

Durante a reunião, foram discutidas medidas adicionais para combater o feminicídio, incluindo iniciativas de educação familiar e escolar para mudar a cultura que perpetua a violência contra as mulheres.

Margareth salientou que o pacote de leis aprovado pelo Senado não se limita apenas ao feminicídio, mas também aumenta as penas para outros crimes que frequentemente precedem o assassinato de mulheres.

Janaina Riva parabenizou a iniciativa de Botelho em convocar a reunião e destacou a importância da cooperação entre a Assembleia Legislativa de Mato Grosso e o Congresso para combater o feminicídio e a violência contra a mulher.

Gisela se comprometeu a agendar uma reunião com o presidente da Câmara para solicitar urgência na tramitação do pacote antifeminicídio. Ela ressaltou a gravidade da situação em Mato Grosso, que registrou a maior taxa de feminicídios do país, e enfatizou a necessidade de todos fazerem sua parte para proteger as mulheres da violência.







Top