• Cuiabá - -
Olho No Esporte MT
MATO-GROSSENSE

Eleição no Maior Bairro de Cuiabá Suspensa por Suspeita de Compra de Votos, Decreta Juiz

O bairro CPA-III é o maior de Cuiabá desde a década de 1980, com mais de 4,85 mil moradias divididas em cinco setores

Data: 02/12/2023 - Por: Da Redação


ESSA NOTÍCIA É UM OFERECIMENTO:



O juiz Luiz Octávio O. Sabóia Ribeiro, da 3ª Vara Cível de Cuiabá, acatou a denúncia da Chapa 1 sobre a suspeita de compra de votos e ordenou a suspensão da eleição para a nova diretoria da Associação Comunitária do CPA-III, Setores 2 e 5, programada para este domingo, dia 3. O bairro CPA-III é o maior de Cuiabá desde a década de 1980, com mais de 4,85 mil moradias divididas em cinco setores.

No despacho que concedeu a tutela liminar, o magistrado sugere que a nova eleição ocorra em 45 dias, sem prejuízo de prorrogação posterior, se necessário e mediante provocação do juízo, sob pena de multa de R$ 50.000,00. Ele determinou que a União Cuiabana de Associações de Moradores de Bairro (Ucamb), responsável pela realização da eleição, seja notificada imediatamente por um oficial de justiça plantonista para cumprir a ordem.

Luiz Octávio Sabóia Ribeiro deixa a possibilidade de acordo em aberto, afirmando que as partes podem solicitar a designação a qualquer momento, caso desejem firmar um acordo.

Na ação, o advogado Carlos Roberto Santos alega que a Chapa 2, liderada por Janderson Queiroz Brancão e seu vice Caíque, estaria envolvida em compra de votos, distribuindo bolas, coletes, roupas e churrasco para eleitores do CPA-III. A Chapa 1, liderada por Rauny Alves de Oliveira e Audo Galvão (vice-presidente), impugnou a Chapa 2, argumentando que Janderson Queiroz Brancão é morador do Jardim Umuarama e não do CPA-III.

A decisão menciona até a decisão do desembargador João Ferreira Filho, que suspendeu a eleição para a Associação do Jardim Cuiabá, programada para o último final de semana (25).

Em ambos os casos, Jardim Cuiabá e CPA-III, Setores 2 e 5, a suspensão das eleições pelo Poder Judiciário de Mato Grosso ocorreu devido à falta de julgamento dos pedidos de impugnação das chapas pela Ucamb.

O Artigo 16 do Regimento Eleitoral estipula um prazo de cinco dias para a Ucamb decidir e para a chapa impugnada se defender. No entanto, o recurso da decisão de Rauny de Oliveira não foi julgado até o momento.

Há denúncias de interferência de líderes políticos em diversos bairros de Cuiabá, como no CPA-III, onde, segundo a Chapa 1, políticos conhecidos, como o deputado Paulo Araújo (PP) e os vereadores Rodrigo Sá, estariam favorecendo a Chapa 2.

A Chapa 1 argumenta que, caso a eleição fosse mantida, não haveria condições para sua realização no CPA-III, Setores 2 e 5. Até o dia 30, o atual presidente da Associação de Moradores do CPA-III, Setores 2 e 5, não foi contatado pela UCAMB para os preparativos preliminares e a designação do local de votação. A UCAMB também não formou a Comissão Eleitoral do bairro, responsável por conduzir o processo eleitoral na comunidade.

Os citados não atenderam ou retornaram às ligações da reportagem. A matéria será atualizada caso haja manifestação das partes.

 

Fonte: CuiabanoNews







Top